história recente

Outono

Feriado

Consumo rápido

Diário de viagem

A beleza

Silêncio

Isto não é

Tempo

Noites

Cores de vida

Mudanças

...

Paraíso

Às vezes...

Segurança

Anos

Puzzle

Repetições

Memória

Reset

A história

Outubro 2017

Junho 2017

Junho 2016

Novembro 2015

Março 2015

Agosto 2014

Dezembro 2013

Setembro 2013

Outubro 2012

Julho 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Sábado, 6 de Maio de 2006

Às vezes

Tenho um fecho ecler em vez de coluna vertebral. Abre e fecha peça por peça apanhando pedaços de pele, de carne, fazendo um bolinho de massa laila_lilás. Essas vezes o pescoço chega-me ao joelho e não há diferença entre ambos, confundem-se e não sei quem aguenta das pernas ou da cabeça. Não sei onde se apoia a ideia nem se o ventre tem algum ponto de apoio para mover o mundo (o meu).
Depois, degluto o bolinho laila_lilás com um bocado de álcool, algum amigo e um pouquino de amor. E o fecho ecler torna de novo coluna vertebral.

Laila_lilas às 16:23

| fala | favorito
|

dizias algo?:
De Ramom Gris a 8 de Maio de 2006 às 20:54
quantas imagens cabem num post? às vezes lendo visualizo muitas delas, todas codificadas, e preciso duma pedra de rosetta contemporânea, creio entender, mas não sei se é, um debate entre ser e estar, uma novidade para uma língua latina, é?, está?, só que finalmente opto pola perífrase que só pôde coincidir com um verbo e antes o seu familiar advérbio, realmente...está a falar de....


De Laila_lilas a 9 de Maio de 2006 às 10:10
A coluna vertebral é a minha forma de estar no mundo, no meu mundo. Às vezes dói, nom sustém, fica desarranjada como um casaco velho de fecho ecler estragado. Nesses momentos, preciso um amigo, um bocado de álcool, um pouco de amor...


De Luzinha a 9 de Maio de 2006 às 11:36
Às vezes creio que falas de mim... ou melhor, estou segura de que muitas vezes contas o que sinto muito melhor que se eu tentase fazé-lo
;-D


De Laila_lilas a 9 de Maio de 2006 às 15:00
Para mim as palavras, as imagens as tuas, sempre as tuas :-D. Somos uma boa combinação.


Comentar post

pesquisar

 

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


gosto

Desamparo

Mundos impossíveis

Olhos

Tu também

Eu e a outra

Fantasia de amor

Homenagem privada

Diz Antonio Gamoneda

Escuro

Mais outra vez a lua

blogs SAPO

subscrever feeds