história recente

Feriado

Consumo rápido

Diário de viagem

A beleza

Silêncio

Isto não é

Tempo

Noites

Cores de vida

Mudanças

...

Paraíso

Às vezes...

Segurança

Anos

Puzzle

Repetições

Memória

Reset

Virginia Woolf

A história

Junho 2017

Junho 2016

Novembro 2015

Março 2015

Agosto 2014

Dezembro 2013

Setembro 2013

Outubro 2012

Julho 2012

Março 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Quarta-feira, 31 de Dezembro de 2008

Tentações

Estou tentada de cair, dizer tudo aquilo de que para o 2009 saúde e desejos cumpridos. Tenho tentações de cair nos tópicos, de lembrar-me das amigas que me lem e das que não o fão. Das que estão, estiverão ou estarão. Lembrar-me das ausências embora façam tanto dano. Estou tentada de enviar-vos mensagens em que vos diga o muito que vos quero e tudo o bom que tedes.

Mas a tentação mais grande é a de deixá-lo estar, nada do que vos possa dizer neste dia será tão fermoso como ter-vos ao meu lado.

Para o 2009, que estejades aí.


Laila_lilas às 18:44

| fala | dizem por aí (2) | favorito
|

Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2008

Casa (embora as ausências)

O que tenho: uma grande gaveta dentro duma mesa de cabeceira. Abre-se de vez em quando para deixar entrar visitantes e objectos novos, que se movem sem ordem nem controlo. As outras gavetas desta mesa de cabeceira estão igualmente habitadas, abrem-se da mesma maneira e os seus ruídos contaminão a minha. Ao nosso arredor, outras gavetas, outras mesas de cabeceira, outros armários...

Mas alguma vez volto à casa de dimensões naturais. De vez em quando posso escutar a lenha que arde na cozinha, um corvo distante que reclama o seu alimento, um silêncio gigante interrumpido umas poucas veces pola prosaicidade dum frigorífico que começa a funcionar. Um tempo enorme que se estira e se estira permitindo aborrecer-me. E sobretudo, muito espaço limpo e calmo na minha cabeça.


Laila_lilas às 16:49

| fala | favorito
|

Sexta-feira, 12 de Dezembro de 2008

Escuro

Marcas físicas: olheiras,talvez um pouco mais de gordura arredor da cintura, os olhos ligeiramente vermelhos e um pouco de congestão nasal.

Os sintomas não significam nada, gripe, catarro, uma noite de insónia... Mas o burato abismal entre a minha consciência e o mundo, esse, é inequívoco. Um abismo que devo saltar, quase cada dia, sem ajuda de paraquedas. Há dias em que encontro o valor para fazê-lo, e a cada passo que dou fabrico uma ponte baixo os pés. Outros dias, outros como hoje, só vejo a escuridão.


Laila_lilas às 17:44

| fala | dizem por aí (2) | favorito
|

pesquisar

 

Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


gosto

Desamparo

Mundos impossíveis

Olhos

Tu também

Eu e a outra

Fantasia de amor

Homenagem privada

Diz Antonio Gamoneda

Escuro

Mais outra vez a lua

blogs SAPO

subscrever feeds